quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O infante supramoderno

O aluno de cinco aninhos perguntou à professora: Tia, você é casada?
- Sim.
- Com homem ou mulher?

6 comenta aí, amizade!:

Amanda disse...

Fica roubando os acontecimentos diários de sua mulher,fica???bjus

Susanna disse...

Marido [da Amanda] querido!
Conforme eu disse a você quando fiquei sabendo desta história, achei o comentário desse menino um verdadeiro absurdo!
Aliás, uma completa corrupção de valores - e uso corrupção porque "inversão" não comporta tudo o que senti ao ouvir essas palaras.
Acredito que esse episódio, que você e Amanda me contaram às gargalhadas, somente reflete que sim, a sociedade em que vivemos está podre, corrompida, maculada, envilecida...
Não só por isso, caríssimo Marido da Amanda, mas por tantas outras experiências que vivenciamos diariamente.
Tomo por exemplo o caso do meu chefe, que não quis ver sentado em seu sofá um funcionário suado. E não era funcionário dele, o coitado.
'Tempos modernos', ou 'Graças a Deus [veja bem, Deus!] há quem questione essa sociedade pautada em valores cristãos', você diz...

Mas eu, eu fico com Cazuza e sua poesia sobre o nosso país, sobre a nossa história.
Ainda que essa letra não tenha sido pensada para este fim:

"
[...]
A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas idéias não correspondem aos fatos
O tempo não pára

Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não pára

[...]

Nas noites de frio é melhor nem nascer
Nas de calor, se escolhe: é matar ou morrer
E assim nos tornamos brasileiros
Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
Transformam o país inteiro num puteiro
Pois assim se ganha mais dinheiro"

Grande beijo!

Fabiano Barreto disse...

Querida Susanna,

Meus conceitos ético-cristãos convergem com os seus em muito.
Penso que, de fato, há alguma inconveniência em inserir, ou conceder a inserção de determinadas imagens, situações, na leitura de mundo das crianças.
Entretanto, em medida equivalente, reconheço a legitimidade da escolha de indivíduos de "espírito livre" (diria Nietzsche, talvez) como ocorre com os homosexuais. Por conseguinte, é legitima a manifestação dessas pessoas no interior da sociedade em lugar de se recolherem às masmorras a que a sociedade ordinária lhes dedica tal qual ocorreu aos cristãos primitivos.
Lamentavelmente, a falta de bom censo de alguma porção de adultos permite o acesso a experiências impróprias para os pequeninos, eu diria. Mas demonstrações de bom afeto, independentemente da opção sexual, não são o pior dos horrores a que a humanidade SEMPRE expôs a qualquer semelhante.
"Eu fico com a pureza [e a sagacidade] das crianças".

E, só pra finalizar, o ocorrido foi super engraçado, né?

Obrigado e um beijo!

Beijo pra minha patroa também!

Susanna disse...

É, não posso negar, foi muito engraçado!!
rsrs

van disse...

Só podia ser aluno de Amanda mesmo!!!...srsrsrs
Mas vem cá ...o que a professora respondeu??????

Fabiano Barreto disse...

O frigorífico Brasil - porque o nosso cachorro é amarrado com linguiça - apresenta a mais nova leitora dessa bagaça: Senhoras e senhores, com vocês a honorável-soft-ypsilones Vanessa Preta.
Seja bem vinda!!