segunda-feira, 24 de agosto de 2009

UFF abre sindicância para investigar denúncia de trote violento



A UFF (Universidade Federal Fluminense) anunciou nesta segunda-feira (24) que irá abrir uma comissão de sindicância para apurar a denúncia de trote violento durante a recepção de calouros da faculdade de direito da instituição.

De acordo com notícia publicada na sexta-feira (24) na coluna de Ancelmo Gois, no jornal O Globo, oito veteranos teriam dito a uma caloura que ela teria que fazer sexo oral para não ter que pagar a cota de R$ 250, que é exigida dos novatos para a festa dos calouros. Para conseguir a quantia, os calouros fazem o tradicional "pedágio".

Segundo a caloura, as novatas teriam sido separadas entre "bonitas" e "barangas". As bonitas eram levadas para um lugar diferente, onde estavam cerca de oito estudantes - o mais forte deles teria ficado na porta para impedi-la de sair. Os veteranos teriam dito à jovem que ela teria duas opções: "fazer sexo oral neles e ser promovida à condição de veterana ou beijá-los na boca".

A estudante escapou do trote, mas ficou abalada emocionalmente. Ela não formalizou queixa, pois temia passar por mais constrangimentos.

Em nota, a universidade afirma que "repudia a atitude de alunos veteranos que recebem calouros com trote violento" e "repele os trotes que geram constrangimento, violência e discriminação". O reitor Roberto Salles determinou a abertura de comissão de sindicância para a apuração dos fatos.

Caso seja comprovada a agressão, os acusados podem ser suspensos ou até expulsos da universidade. A apuração pode durar até 30 dias.

Fonte: Uol Educação

2 comenta aí, amizade!:

Sus-pensa disse...

É, meu caro... situação difícil essa.
Mas diga você, que está lá dentro daquele (sub)mundo: o que acha? Sinto cheiro de pizza no ar...

(Inevitáveis pensamentos pútridos, a respeito do comportamento da menina - "abalada emocionalmente" - passam pelos meus cachinhos dourados... mas opto por não publicá-los! rsrsrs)

Beijo!

Fabiano Barreto disse...

Bicho, já vc tá falando em cheiro de pizza... Como qualquer sindicância brasileira que se faça legítima, na minha humilde opinião, em nada dará.
A caloura não formalizou queixa, e tal e coisa; e coisa e tal. Daí as coisas vão se acomodando...
E, uma face sombria disso tudo: ninguém quer saber disso. Não se houve qualquer comentário nos corredores da universidade.
Ante o exposto, concordemos com o polivalente Lulu Santos: "Assim caminha a humanidade, com passos de formiga e sem vontade"!